ENSINO MÉDIO BRASILEIRO APÓS A PANDEMIA

            Não é novidade para ninguém que o ensino médio brasileiro costuma ser classificado como sendo de baixa qualidade e de aprendizagem ruim, mas você já parou para se perguntar como fincará a situação das escolas brasileiras, principalmente as públicas, logo após a pandemia? Esse tema apesar de pouco abordado é de suma importância e deve ser levado mais a sério por parte da sociedade brasileira como um todo.



            Devido a pandemia, inúmeras escolas do Brasil todo teve que se adaptar a uma rotina de aulas totalmente nova, com implementação de aulas virtuais. Isso se torna um agrave quando levamos em consideração o fato de que ainda existe muitas pessoas no país que não conta com infraestrutura suficiente para atender a esse tipo de demanda. Por mais que pareça improvável para algumas pessoas, computadores, internet de qualidade e suporte tecnológico não é uma realidade de todos e situações como essa corroboram para agravar ainda mais a desigualdade social tão característica de nosso país.

            Além disso, a qualidade do ensino caiu ainda mais com essa forma de ensino, muitos estudantes reclamam da baixa qualidade das aulas e que apresentam uma grande dificuldade em aprender o conteúdo da maneira como ele está sendo passado nesse sistema que foi denominado como sendo remoto.

            Uma grande consequência disso é o aumento de evasão das escolas por parte dos jovens brasileiros. Antes mesmo da pandemia esses índices já eram bastante altos, pois é comum dentro do país que os jovens abandonem a escola por vários motivos como falta de incentivo, trabalho, falta de assistência, enfim, muitas questões podem ser levantadas quando se trata desse assunto. Mas, o fato é de que muitos estudantes se sentem excluídos por esse modelo remoto de ensino e acabam por abandonarem as instituições de ensino. Uma grande consequência disso para o país está no fato de que o país passa a ter um maior número demão de obra desqualificadas disponíveis para o mercado, além de aumentar outros problemas como tráficos de drogas e prostituição, que atraem muitos jovens que se sentem excluídos de oportunidade.

            Desse modo, fica evidente que o retorno a rotina após essa pandemia será um grande desafio para as escolas, e isso pede uma maior atenção do governo para que essa realidade possa ser alterada e os jovens possam se sentir estimulados a se dedicarem aos estudos, principalmente aqueles que vivem em áreas de grande carência, pois a educação precisa ser vista como um meio de transformar vidas na prática e não apenas em teoria.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *